top of page
Buscar
  • douglas578

OLT: como escolher o melhor para o seu provedor de internet?

Atualizado: 15 de dez. de 2022

Com a popularização da rede de fibra ótica, as pessoas passaram a contar com maior qualidade na sua conexão de internet. É a isso que todo provedor tem que se atentar. A questão é que para chegar a esse resultado, o mais importante é entender como funciona todo o processo capaz de dar à sua empresa essa capacidade. É nesse sentido que elementos como o OLT precisam ser entendidos.


Na prática, o OLT tem total relevância dentro de uma estrutura de rede de fibra ótica, sendo um dos componentes que merecem maior cuidado na hora da escolha do sistema a ser usado.


Por esse motivo, preparamos este conteúdo. Saiba mais sobre OLT, entenda como escolher a soluçao ideal e mais informações relevantes sobre o assunto.


O que é OLT

OLT é sigla para Optical Line Termination. Na prática, sua principal função é fazer o devido gerenciamento do sistema de rede. É a OLT que distribui o sinal óptico até o seu destino que podem ser os terminais de rede óptica (ONT) ou as unidades de rede óptica (ONU).

A OLT geralmente é instalada na central operadora. Cabe a ela atuar como uma espécie de terminal de linha óptica que vai não só converter como também transmitir os dados para a rede.


Simplificando, OLT é um equipamento. Ele é instalado no provedor para distribuir serviços como:

Logo, uma boa OLT é fundamental para a oferta de um serviço dessa natureza de qualidade. Passa pela OLT o envio seguro de dados e o recebimento de informações. Portanto, esse é um dos elementos fundamentais na boa transmissão de dados no país.


Porque é importante entender o que é OLT



Porque é preciso saber qual é o equipamento mais indicado para cada provedor. E essa informação só é encontrada quando o gestor consegue ter clareza a respeito de dois dados:

  • o número de clientes atuais;

  • a expectativa de clientes para o próximo ano.

É importante que não haja uma desconexão entre a quantidade de assinantes e a previsão de crescimento do negócio. Até porque, além da OLT, existem outras soluções indicadas, como a tecnologia EPON, por exemplo.


A questão é que o planejamento do negócio é fundamental para garantir que a sua empresa não tenha prejuízos ou tenha que improvisar, substituindo os equipamentos a partir do momento que a demanda começar a não ser atendida.

Somente com uma precisão maior em relação à quantidade de clientes atuais e futuros é que vale a pena definir o modelo de OLT. No caso, eles podem ser chassi ou pizza box.


Modelos de OLT

Atenção para os dois modelos predominantes de OLT. É preciso saber como cada um deles funciona e quais são suas principais exigências. Assim você tem como escolher o mais indicado para o seu negócio.


O OLT chassi é um modelo que permite inserir diversas placas na medida que a quantidade de clientes aumenta. E isso sem precisar trocar o equipamento. Ocorre é que esse é um tipo de OLT que permite a instalação centralizada. Não por acaso, ela costuma ser a adotada pelos grandes provedores.


Já o modelo pizza box funciona como uma instalação descentralizada. Ela é mais recomendada para quem não precisa de uma grande quantidade de portas. Assim, um de seus benefícios é otimizar o espaço físico. Também conhecida como stand alone.


A diferença entre os tipos de OLT

Em função dessas características, a escolha do modelo pizza box geralmente é indicada para provedores pequenos. Ele é especialmente útil para quem pretende atender um número menor de usuário sem maior preocupação com o espaço. Além disso, seu custo é mais reduzido, sendo uma boa escolha para redes descentralizadas.


Já a outra opção costuma ser mais cara. Assim, ela é recomendável para provedores maiores. Tanto por conta do maior capital para investimento quanto para ampla capacidade de atendimento. O modelo chassi apresenta espaço físico maior para montagem completa, mas exige maior preparo tanto para montagem quanto para gerenciamento por parte da equipe.


O que é importante saber sobre OLT

Primeiro, que é preciso considerar a realidade do provedor para fazer a escolha certa. Entre os modelos disponíveis no mercado, eles se diferenciam em função da demanda do provedor. Existem vantagens e desvantagens nesses modelos dependendo da especificidade de cada negócio.


Por isso, o mais importante é ter em mente fatores como a quantidade de consumidores e a velocidade de internet oferecida. Além disso é preciso pensar no investimento que deve ser realizado.


Uma empresa que trabalha com provedores de internet do jeito certo, precisa partir sempre de um bom planejamento e um estudo aprofundado a respeito das opções disponíveis. É isso que pode fazer com que as instalações sejam, de fato, bem-sucedidas.


Nessa lógica, ter ao seu lado um fornecedor de qualidade e credibilidade é fundamental. Por isso, valorize essa análise na construção do seu empreendimento para fazer o projeto valer a pena.


Como montar um provedor de internet

Em termos de infraestrutura, a OLT é um dos elementos mais importantes na construção desse projeto. Além dele é preciso considerar também outros equipamentos. É o caso de ONT/ONU, o cabo drop low friction, caixas de emenda e de terminação, splitters, conectores, OTDR e máquina de fusão.


Será necessário montar um projeto de rede. Isso quer dizer que a sua empresa precisa estabelecer a área que vai atender e delimitar a porcentagem de ruas ou casas onde o serviço será prestado. Isso é essencial. Um projeto de rede qualificado permite à sua empresa compreender melhor aspectos como:


  • a área de atendimento;

  • o dimensionamento dos ativos e passivos;

  • a melhor forma de fazer a distribuição.

Logo, é importante partir de uma pesquisa aprofundada de mercado. É ela que pode mostrar tanto quais são os concorrentes mais próximos, quanto as tecnologias que a região é capaz de receber.


Entendeu agora o que é OLT e como a sua escolha correta pode ser útil para o seu negócio? Então confira também outros textos no nosso blog que podem te ajudar.

4 visualizações
bottom of page