top of page
Buscar
  • douglas578

TV via internet é legal no Brasil? Descubra!

Atualizado: 15 de dez. de 2022

A TV via internet é uma evolução natural da tecnologia. Historicamente, o jeito mais fácil de ter acesso a canais de TV sempre foi via sinais emitidos por torres. Assim, para assistir um programa de TV aberta, por exemplo, era necessário apenas instalar uma antena simples no aparelho e receber esse sinal.


Com a evolução da tecnologia, foram surgindo novas possibilidades. Com as antenas parabólicas passou a ser possível receber sinais de satélites orbitando o planeta. Já via cabo, basta contar com um decodificador para assistir a programação.

A TV via internet, por sua vez, parte de um moderno mecanismo chamado IPTV. E é sobre ele que precisamos entender melhor.


Afinal, do que se trata a TV via internet?

Quando falamos de TV via internet, estamos nos referindo à IPTV. Essa é a sigla para Internet Protocol Television. Em português, significa televisão por protocolo de internet. Simplificando: com a IPTV, a transmissão dos sinais de TV é realizada via redes de IP.

Assim, se na forma analógica de assistir TV o sinal era transmitido via torre e captado por antenas, com o IPTV, essa transmissão se dá a partir de redes IP. O endereço IP nada mais é do que um rótulo numérico. Ele é atribuído aos dispositivos quando são conectados a uma rede de computadores.


Assim, quando se fala em transmissão via IP ou IPTV, quer dizer que existe a transmissão de conteúdo de TV pela internet, a partir de uma rede específica.

O grande diferencial do IPTV é ser uma tecnologia nova. E ela é possível justamente em um momento em que a internet parece cada vez mais presente na vida das pessoas. E com qualidade avançada.


É possível “piratear” TV via internet?

Esse é um grande problema que aparece com a evolução da tecnologia. Já existe uma série de dispositivos que, na prática, driblam os mecanismos de controle das operadoras que oferecem sinal de TV via internet e liberam os canais. Mesmo os mais caros que só estão disponíveis por assinatura.


É um problema que não só gera prejuízo para essas empresas e seus milhões de colaboradores. Ele também cria uma imagem negativa para a própria tecnologia por trás da IPTV.


É por ser possível piratear TV via internet que muitas pessoas julgam como sendo ilegal a IPTV. Esse é um erro, pois assim elas acabam abrindo mão de algo que pode simplificar consideravelmente suas vidas.


Afinal de contas, TV via internet é legal ou ilegal?

A realidade é que a tecnologia de IPTV é totalmente legal. O que não se pode é burlar a lei que protege os detentores dos direitos sobre os conteúdos.

Este modelo de negócio funciona com a criação de listas pelas operadoras com os canais por elas oferecidos. Assim, elas podem cobrar ou não pelo acesso a eles. Em geral, por uma questão estratégica, essas operadoras costumam liberar canais de TV aberta gratuitamente, e cobrar pelos demais.


A chamada pirataria normalmente surge quando um assinante redistribui sua lista de IPTV para quem não tem um plano. Assim ele coloca conteúdo audiovisual ilegalmente no mercado.


Para tanto, existem os chamados aparelhos set-top boxes alternativos, conhecidos como “caixinhas”. Estas, são vendidas no mercado paralelo. O que elas fazem é reunir uma relação com canais abertos e fechados e desbloqueá-los. Assim o usuário liga aparelho na TV e assiste sem ter que arcar com a assinatura.


Não tem segredo: quando o consumidor paga uma taxa para a operadora e ela libera os canais pagos, então se trata de uma prática legal. Quando isso não acontece, a não ser que exista uma oferta especial, o que está acontecendo é uma infração ao direito que essas operadoras têm sobre o conteúdo audiovisual.



O que esperar do futuro?

Não é por acaso que a TV tem perdido espaço no mercado nos últimos anos. Somente as emissoras por assinatura já perderam mais de 1,2 milhões de clientes entre 2020 e 2021.

Isso certamente tem a ver com o crescimento do streaming. Se antes, para ter acesso a serviços como filmes e eventos esportivos era preciso desembolsar valores elevados, hoje, os conteúdos são facilmente encontrados a preços acessíveis em plataformas como a HBO Max e o canal Premiere.


O que ocorre é que, com a qualidade da tecnologia que permite o acesso a canais de streaming, não faz mais sentido assinar serviços caros como o que os pacotes de TV a cabo ofereciam. Assim, as próprias empresas entenderam a mudança inevitável. Portanto, surgiram diferentes formas de faturar nesse mercado.


Serviços como os oferecidos pela Pluto TV e pela Samsung TV Plus, faturam alto com a inserção de propagandas dentro da programação. Logo, mesmo sendo gratuitos, eles conseguem alcançar um número de assinantes tão grande quanto de outros serviços pagos. Isso mostra o potencial que o streaming tem para as empresas.


O que as pessoas procuram?

No fim, nada mudou. A questão é que as pessoas seguem indo em busca de conteúdo. A diferença é que agora, para as empresas, passou a ser interessante também oferecer isso a preços mais viáveis para os consumidores.


Assim, o serviço de streaming viabiliza a TV via internet e isso faz com que desafios como a oferta de conteúdo de qualidade, a personalização e o devido entendimento do comportamento do consumidor precisem ser assimilados em função desse novo contexto.

Nesse sentido, é importante também que o consumidor tenha atenção àquilo que está adquirindo. Com uma oferta cada vez maior e pulverizada de conteúdo, a tendência é que soluções ilegais apareçam.


E isso pode representar não só problemas em termos técnicos, ou seja, com a compra de aparelhos que podem danificar sua televisão ou não entregar o que prometem. Pode representar também dores de cabeça reais diante de uma legislação que vem sendo adaptada às demandas do novo tempo.


Considerando o que deve ser o futuro do entretenimento, é bem provável que o streaming tome conta do mercado. Portanto, vale a pena procurar empresas confiáveis, capazes de oferecer serviços de qualidade, sempre de acordo com as exigências da lei.


Entendeu como funciona a TV via internet? Então confira também: "Provedor de TV por iP: como se tornar um e características essenciais”.

10 visualizações
bottom of page